"CICLOS PARA SE (RE)INVENTAR"

cenografia

"Dentro da caixa cênica, no chão dela, há uma espécie de ninho de luz. Um emaranhado feito com pequenas lâmpadas, que não apenas iluminam, mas também delimitam e aconchegam o giro da artista. As luzes acendem e apagam de maneira independente e sutil.

A visão do espectador é direcionada aos membros superiores da artista (pois é fechada até 1 metro do chão) de maneira que a trama de luzes só é vista por quem se arrisca a levantar ou se aproximar da barreira. Essa barreira também permite o desaparecimento do corpo da artista ao final das apresentações.

Há caixas de som acopladas na estrutura, que emitem de maneira discreta e funcional os estímulos sonoros utilizados durante a pesquisa."

(Ana Clara Joly)

Fotos: Ana Clara Joly

FICHA TÉCNICA: (da edição apresentada no Teatro Mináz, em maio de 2016, pelo SESC-RP)

Concepção e performance: Bela Pizani

Provocações e Cenografia: Ana Clara Joly