"TUDO DERRAMADO"

série de performances (2011, 2013, 2015)

A partir dos olhares fixos um no outro, cria-se um campo magnético. Os corpos se estabilizam, se atraem e se repulsam a partir do comando que qualquer um dos pólos pode dar.

"Tudo derramado" nasceu a partir do espetáculo "A saudade é como líquido que transborda", (vencedor do Prêmio Funarte Klauss Vianna 2011), dirigido por Anderson Luiz do Carmo, no qual Ana Clara foi cenógrafa.

A artista convidou Iam Campigotto (2011), Nathalie Soler (2013) e seus alunos (2015) para performarem com ela.

 

Direção: Ana Clara Joly

Interpretação: Ana Clara Joly, Iam Campigotto, Nathalie Soler, Bruna Oliveira, John Henrique, Rafaela Lebre, Robert Abreu, Tamires Soares, Ton Pereira, Victória Pontes

Imagens: Ana Castello e Coletivo Fuligem